Ondas quebrando na escuridão

Fugi para essa praia

porque ninguém pensaria

em me procurar aqui.

Talvez em outras praias,

mas não aqui.

 

Armei minha barraca na linha

onde o mato começa a crescer

e a areia a desaparecer,

andei até o mar

onde as ondas quebravam

para dar um mergulho

e nadei alguns metros.

Fiquei estirado ao sol

na areia quente

esperando me secar

fumando um atrás do outro.

 

De noite, se acenderam as luzes no quiosque

na outra ponta da praia

e fui ver se arranjava alguma coisa para comer.

O dono havia posto um forró para tocar

e estava vendendo caipirinhas

a cinco reais para outros campistas.

Comi camarões, bebi alguns

copos e dancei algumas músicas

com uma moça da Alemanha

que estava de férias

e dançava melhor que eu.

 

Voltei para minha barraca

sozinho.

Fumei mais alguns

vendo o mar de estrelas no céu,

ouvindo as ondas quebrando

na escuridão

e fui dormir

tranquilizado, escondido,

sem saber que

ninguém me procurava.